Páginas

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Nosso "Muito Obrigado!"

O fim de mais uma etapa se aproxima e junto com este período de reflexão nos lembramos de todas as lutas que tivemos durante este ano e de toda a ajuda que recebemos para que pudéssemos ser vitoriosos.

A Liga Feminina de Combate ao Câncer consegue se manter e ajudar o próximo com a ajuda dos voluntários, que reconhecem a importância desse trabalho perante nossa sociedade. Todos os voluntários dessa causa maravilhosa devem ter dentro do peito os sentimentos de felicidade, amor e trabalho cumprido; pois mesmo vivendo em um mundo onde o egoísmo impera, conseguem se desprender e fazer a verdadeira caridade - aquela onde o esperado é o sorriso de quem foi auxiliado, apenas isso.

Muitos ignoram a responsabilidade social que possuem, acreditando que apenas pagando impostos estão fazendo tudo que podem, outros apenas ajudam quando receberão méritos pela bondade. Porém, ainda existem pessoas na comunidade que valorizam o trabalho social e ajudam como podem. Cidadãos que acreditam no bem e na superação. Almas caridosas que dão de graça o que de graça receberam: o amor.

Bem sabemos que muitos não precisam apenas de remédios e roupas, mas também de um sorriso e de atenção. Acreditamos que é este sentimento de união entre auxiliadores e auxiliados que deve ser soberano.

A LFCC agradece de coração a todos aqueles que de alguma forma nos estenderam as mãos durante o ano e nos ajudaram a amenizar as dores de muitos. Com a ajuda voluntária conseguimos fazer a diferença.

Neste clima natalino lembremos das palavras do mestre Jesus: “Fora da caridade não há salvação”. Faça a sua parte, seja caridoso sempre que possível, onde for que estiveres. Somente assim conseguiremos mudar a realidade do nosso mundo.

2 comentários:

  1. Haroldo- São Paulo16 de dezembro de 2008 17:27

    São pessoas com esse espírito de comunhão que fizeram, fazem e sempre farão a diferença nesse mundo.

    ResponderExcluir
  2. Acho a Liga um movimento muito nobre, por uma causa mais nobre ainda. * Foi tu que escreveu, rafinha? (pode ser uma pergunta ignorante, mas como tu disse que foi publicado nos jornais locais e eu sei que tu escreve textos para periódicos alheios, fiquei curiosa :P)

    beijo

    ResponderExcluir

Solte o verbo!